sábado, 27 de abril de 2013

CAMINHE PELA FÉ, E OS SINAIS IRÃO TE ACOMPANHAR.

.
Talvez você esteja esperando, um sinal de Deus, para a sua vida, como algo, estrondoso, visivelmente sobrenatural. Como a visão de um anjo, ou como a coluna de fogo que aquecia e guiava os Hebreus no deserto de Sim. Deus é poderoso para fazer muito mais, porém, tome atitudes, continue semeando, Fé, é crer contra a esperança, é se mover, baseado na certeza, que Deus é fiel. Vá em frente, e você vera os sinais de Deus te acompanhar, Jesus estará marcando a sua vida nessa geração.

SE ESTABELEÇA NA PALAVRA DE DEUS.

Foto
Satanás, sabendo que você, esta disposto(a) a cumprir a vontade de Deus, ele tenta te frustrar, trabalhando com uma falsa visão. Ele procura, tirar o seu foco da palavra de Deus. Foi assim que ele tentou o Senhor Jesus la no deserto. Quando ele propôs para Jesus, transformar, pedras em pães, sua intenção, era fazer com que o senhor, perdesse a visão. Ofereceu para Jesus os reinos e as glórias desse mundo, para que o senhor, desistisse de ir a cruz. Recuse aquilo que te desanima, pessoas que, estão a sua volta dizendo que não tem jeito. Fique firme, na palavra, não abra mão da visão que você recebeu, não aborte o sonho de Deus para a sua vida. Continue a olhar para o autor e consumador da fé. Você vai andar no poder da Ressurreição, em nome de JESUS.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

DEUS USA COISAS SIMPLES, PARA OPERAR MARAVILHAS.

























Deus faz milagres com aquilo que você tem. pode ser apenas uma funda, na mão do pequeno Davi, ou uma simples vara, na mão de Moisés, para abrir o mar. Pode ser apenas, cinco pães e dois peixinhos, ou um pouco de farinha,e azeite, pode ser um simples lenço, como o de Paulo, quem sabe uma sombra como a de Pedro. Deus sempre usou pequenas coisas, para fazer grandes obras, grandes milagres. O que você tem? um pequeno proposito?, uma pequena fé? um pequeno sonho? CRÊIA....é através de você, da sua vida, que Deus quer realizar uma grande obra. Vá em frente, isso é profecia para a sua vida.


PROFETIZANDO NO VALE DE OSSOS SECOS.

Foto: Hoje mais que nunca, a certeza de que quando Deus nos faz uma promessa, nessa vida, essa promessa vai se cumprir. Um dos grandes obstáculos, para nos mantermos, na visão daquilo que Deus um dia nos falou, são pessoas que, estão a nossa volta. Claro existe exceções, mas muitos, só vão até onde a religião, ou as frustrações ditam as regras. Mas para aquele, que ousa crer, o vale de ossos secos, é mais uma oportunidade, para a manifestação da glória de Deus.
Hoje mais que nunca, a certeza de que quando Deus nos faz uma promessa, nessa vida, essa promessa vai se cumprir. Um dos grandes obstáculos, para nos mantermos, na visão daquilo que Deus um dia nos falou, são pessoas que, estão a nossa volta. Claro existe exceções, mas muitos, só vão até onde a religião, ou as frustrações ditam as regras. Mas para aquele, que ousa crer, o vale de ossos secos, é mais uma oportunidade, para a manifestação da glória de Deus.

domingo, 14 de abril de 2013

A FÉ.

                                      

Uma das coisas mais importantes é utilizar a inteligência aliada à fé. Quando aprendemos, esse segredo, a nossa vida muda completamente.
A fé não é em nenhum momento, em nenhuma hipótese, sentimento. Ela é totalmente razão, totalmente, em sua forma completa. Não tem sentimentalismo, achismo, coração e alma. É razão, é atitude, é se mover ao que não se conhece na certeza de que vai acontecer. É escolha, e cada escolha exige sacrifício. O sacrifício consciente, certo, racional, de se abrir mão de não deixar entrar a dúvida e o sentimentalismo.
A fé então deixa as pessoas frias? Não, pelo contrário. O coração é enganoso, como a própria Bíblia diz. A verdadeira fé nos tira da zona de conforto, do lugar comum, nos confronta a mudar a todo tempo, nos ensina a determinar, a agir para realizar. Nos mostra que, para Deus agir, nossa parte deve ser feita, conscientemente. E a verdadeira fé inteligente nos faz saber perfeitamente qual é a nossa parte a ser feita perante Deus, pois o Seu Espírito não nos deixa enganados, não nos deixa limitados às situações, ao passado, aos problemas, às falhas do outro. Não dá lugar ao sentimento de ira, porém nos impele a nos revoltarmos com a situação e agir em direção ao que Deus tem para nós.
O sentimentalismo gera confusão, o coração gera confusão. Quando dizem, "faça o que o seu coração diz" eu completo: "... e você vai ver tudo dar errado". A fé verdadeira não sente. Ela pensa, racionaliza, raciocina e age. Não existe dúvida, não existe medo nem segredo. Ou crê ou não crê. Ou dá um passo ou fica parado. Não é fé às cegas. É fé que leva onde se quer chegar. É fé sem limites, porque Deus é um Deus sem limites. Fé que faz acontecer, e que crê que "tudo coopera para o bem daqueles que servem a Deus". Fé prática, fé embasada, tudo coopera mesmo porque se cremos, se determinamos, se fazemos nossa parte (aqui está o verdadeiro diferencial) e se agimos em direção ao que queremos, Deus e tudo que Ele fez coopera para o nosso bem.
E é nessa fé que devemos caminhar, agindo, em razão aquilo que cremos.
Que sejamos cada vez mais como o cedro do líbano, que a cada 5 cm crescidos para fora, 1,5 m crescidos em sua raiz. Que sua raiz se solidifique cada dia mais naquele que nos fez.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

FLERTANDO COM A MORTE.


Por Hermes C. Fernandes
Nada como a liberdade que a graça nos confere! Mas em nome desta liberdade, muitos aproveitam para dar vasão aos seus apetites carnais. Esquecem-se ou desconhecem a admoestação que diz: “Não useis então da liberdade para dar ocasião à carne” (Gálatas 5:13). Por isso, muitos preferem o controle oferecido no legalismo. Reconhecem os riscos que envolvem a liberdade da graça e preferem evitá-los. É mais fácil proibir, impondo limites e sanções. E assim, todos são mantidos sob as máscaras e algemas de uma religiosidade superficial, desprovida de consciência e senso crítico.
Apesar de todos os riscos, prefiro a vertigem da liberdade, permitindo assim que o verdadeiro caráter das pessoas se revele, oferecendo ocasião para que Aquele que neles começou a boa obra siga adiante até a sua conclusão. Entretanto, compete-me, como guia do rebanho que me foi confiado pelo Senhor, admoestar, chamar a atenção, atiçar a consciência daqueles que não estão acostumados à tanta liberdade, evitando, assim, que se afastem do propósito de Deus para as suas vidas.
Não brinquem com coisa séria! Este mundo não é um playground! Estamos caminhando em terreno minado. Há armadilhas em toda a parte. No dizer de Pedro, “o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar” (1 Pe. 5:8). Antes fosse o diabo nosso maior problema! Bastaria que nos sujeitássemos a Deus, resistíssemos o diabo, e ele, certamente, fugiria de nós. Pelo menos, é o que nos garante a Palavra (Tg. 4:7). Todavia, nosso maior problema não está fora de nós, mas em nossa própria natureza. Na faculdade em que o diabo se formou, somos PhD. Sequer precisamos dele para sermos maus. Já há malignidade suficiente em nossa carne, a ponto de Paulo confessar: “Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum” (Rm. 7:18a). Portanto, em se tratando de diabisse, o diabo é totalmente dispensável. Os piores ‘demônios’ habitam nossas pulsões e são alimentados pela cobiça dos nossos olhos e pela soberba de nossos corações. Para livrar-nos deles, temos que matá-los, deixando de alimentá-los. Infelizmente, preferimos alimentá-los a pão de ló, como se fossem nossos bichinhos de estimação. Paulo diz que devemos exterminar nossas inclinações carnais (Col. 3:5). Outras traduções dizem “mortificai”, ou“fazei morrer”. Não será com medidas ascetas como autoflagelação, prolongados jejuns, que lograremos êxito em nossa luta contra tais inclinações carnais. Devemos, tão-somente, deixar de alimentá-las. E como fazemos? Quando se trata do diabo “em carne e osso”, a orientação bíblica é que o resistamos para que ele fuja de nós. Mas quando se trata do inimigo que trazemos em nós mesmos (carne), nós é que temos que fugir. Não adianta tentar resisti-lo. Por isso, Paulo é incisivo com seu jovem discípulo Timóteo: “Foge das paixões da mocidade” (2 Tm.2:22). Ninguém é mais tentado do que o jovem. Soma-se a curiosidade aguçada típica da idade aos hormônios à flor da pele. Se pudéssemos, colocaríamos nossos filhos dentro de uma redoma, a fim de protegê-los das investidas do mundo. Mas já que isso não nos é possível, devemos alertá-los para os riscos que correm ao transitar pelos terrenos minados do mundo.
Fugir das paixões é driblar as pulsões que latejam dentro de nosso próprio corpo. Mas não para aí... Temos que evitar ambientes e relacionamentos que sejam nocivos à nossa comunhão com Deus, porquanto estimulem tais paixões em nós. Não basta fugir do mal. Devemos fugir “de toda a aparência do mal” (1 Ts.5:22). Há ambientes carregados de lascívia que instigam o pior que há em nossa natureza. Fuja deles! Desvie-se de amizades que te induzem a frequentá-los.
Alguns alegam que sabem quando parar. Dão corda até chegarem bem próximos ao abismo e aí... freiam. Ainda que nosso freio esteja em perfeito estado, a pista é escorregadia; o carro vai derrapar e precipitar-se no abismo. É besteira confiar em sua carne. Nenhum condicionamento religioso vai te livrar de cair em tentação. Por isso, Jesus nos ensinar a orar para que não “caiamos” em tentação, mas também nos ensinar a vigiar para que não “entremos” em tentação.
Repare nisso:
“E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal.” Mateus 6:13
 “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca.” Mateus 26:41
É perda de tempo orar para não cair, mas não vigiar para evitar entrar em tentação. Quando é que entramos em tentação? Quando nos expomos desnecessariamente à tentação. É a isso que a Bíblia chama de “tentar ao Senhor”. Testar seus limites implica querer tentar ao próprio Deus. Lembre-se de que Deus não se deixa tentar (Tiago 1:13). Mantenha sua carne com rédeas curtas. Não se exponha! Não cutuque a onça com vara curta! Mesmo quando expostos, Deus invariavelmente nos envia um escape. Pena que, geralmente, nós o negligenciamos e depois acusamos a Deus de permitir que fôssemos tentados além de nossas forças. Se considerarmos que a Palavra de Deus não mente, não podemos recorrer a este tipo de desculpa.
 “Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar.” 1 Coríntios 10:13
Por mais que a carne seja fraca, o espírito é forte. Sorte a nossa! Além do mais, o escape sempre aparece a tempo. Basta prestar a devida atenção. É como aquelas placas de “saída” nos lugares fechados. Em caso de incêndio, corra! Ademais, “o Senhor sabe livrar da tentação os piedosos” (2 Pe. 2:9).
Portanto, jamais culpe a Deus. Nem tome o diabo como bode expiatório. A responsabilidade de nossos atos pertence única e exclusivamente a nós. Que não sejamos como os que “ouvindo a palavra, a recebem com alegria, mas, como não têm raiz, apenas creem por algum tempo, e no tempo da tentação se desviam” (Lucas 8:13). FONTE : Por Hermes Fernandes Cristianismo subversivo

sábado, 6 de abril de 2013

Evangelista Reinhard Bonnke



Eu ouvi a história de um teólogo e um cientista num barco que estava sendo remado para o outro lado de um lago. O teólogo perguntou ao remador: “Você tem algum conhecimento de teologia?” “Não!” “Então um quarto de sua vida está perdida.” Daí o cientista perguntou ao remador: “Você tem algum conhecimento de ciência?” Não, ele não tinha. “Então metade de sua vida está perdida.” O remador não disse nada e continuou remando. Depois de algum tempo ele perguntou a ambos: “Vocês têm algum conhecimento de nado?” Não, nenhum dos dois tinham. “Bem,” disse o remador, “este barco está afundando e toda a vida de vocês está perdida.” Esta é um parábola. Nosso mundo está afundando e precisa de resgate. Só Jesus salva. Seu Evangelho é a única boia salva-vidas. Nós somos parte de sua equipe de resgate. Pregue a Palavra, proclame a verdade e envergonhe o diabo. Nada de conversa mole ou de procurar desculpa para pecador para amenizar o Evagelho. Nada de sabonete suave. Sabonete suave não limpa ninguém de seus pecados. Somente o sangue de Jesus faz isso. Deus abençoe. REINHARD BONNKE