terça-feira, 19 de março de 2013

A INDUSTRIA GOSPEL



‎"olha pra mim..."
"hoje o meu milagre..."
"eu quero de volta o que é meu..."
"para a direita, para a esquerda, por todo lado sou abençoado..."
"eu vou viver uma virada..."
Boa parte das músicas entoadas em nossos cultos  estão repletas de letras onde o foco é o homem e suas necessidades. Confesso que fico impressionado com a quantidade de canções estapafurdias compostas e cantadas em nossas igrejas.  Veja por exemplo essa canção do Ministério Apascentar de Nova Iguaçu:
"Onde era tristeza se verá
A dupla honra me ornar
Com boas novas proclamar-lhe
Uma nova história celebrar
É chegada a minha hora
Meu silêncio já acabou
Ouça o som da minha grande festa
Eu vou Viver uma virada
Em minha vida, eu creio
Eu vou viver uma virada
O que eu achava estar perdido
E tinha desistido de sonhar
Meu Deus já decretou este é o meu dia
Minha virada festejar"
Caro leitor, por favor me responda sinceramente: Em que lugar dessa letra Cristo está sendo glorificado? Em que momento dessa canção nosso Senhor está sendo reverenciado? Em nenhum momento não é mesmo? Na verdade, a canção do aludido ministério está focada nas bênçãos de Deus e na necessidade daquele que canta ser honrado pelo Criador. 
Prezado amigo como já escrevi inúmeras vezes a teologia da prosperidade e a confissão positiva fizeram um mal enorme para a Igreja de Cristo. Ouso afirmar que a igreja canta aquilo que acredita, e infelizmente parte dela tem acreditado que Deus é nada mais, nada menos do que um outorgador de bênçãos a todos aqueles que invocam seu nome.
Sinceramente estou cansado de canções deste tipo onde o que importa é a satisfação do cliente. Estou cansado de decretos espirituais estapafurdios, de doutrinas escalafobéticas e de hinos pobres de teologia e conteúdo bíblico. Ora, por que paramos de cantar  os atributos de Deus? Por que não cantamos mais sobre salvação, eleição, perdão de pecados e vida eterna?
Sem sombra de dúvidas vivemos dias complicadíssimos onde o Todo-poderoso foi transformado em gênio da lâmpada mágica, cuja missão prioritária é promover satisfação aos freguês. Diante disto, precisamos orar ao Senhor pedindo a Ele que nos livre definitivamente desse louvor, filho bastardo da indústria mercantilista gospel, o qual nos tem nos empurrado goela abaixo, conceitos e valores anticristãos cujo objetivo final não é a glória de Deus, mas a satisfação dos homens, onde  no final das contas quem reina não é  Deus e sim o homem.
Que Deus tenha misericórdia de cada um de nós.
FONTE : Renato Vargens

Nenhum comentário:

Postar um comentário