sábado, 23 de fevereiro de 2013

O CULTO PRECISA TER ORDEM, PARA SER ACEITO POR DEUS.


Que fazer, pois, irmãos? Quando vos reunis, um tem salmo, outro, doutrina, este traz revelação, aquele, outra língua, e ainda outro, interpretação. Seja tudo feito para edificação. (1 Coríntios 14:26) 

A manifestação do Espírito é concedida a cada um visando a um fim proveitoso (I Coríntios 12:7) 

Mas o que profetiza fala aos homens, edificando, exortando e consolando. O que fala em outra língua a si mesmo se edifica, mas o que profetiza edifica a igreja. Eu quisera que vós todos falásseis em outras línguas; muito mais, porém, que profetizásseis; pois quem profetiza é superior ao que fala em outras línguas, salvo se as interpretar, para que a igreja receba edificação. (I Coríntios 14:3-5) 
Assim, também vós, visto que desejais dons espirituais, procurai progredir, para a edificação da igreja. I Coríntios 14:12. Os cristãos de coríntios, em sua maioria, vieram de religiões pagãs, então fizeram uma mistura com as experiências do paganismo e a verdadeira manifestação dos dons do Espírito Santo. Eles buscavam êxtase, davam vazão as emoções, colocando a suas experiencias acima da palavra de Deus. Veja que o propósito do culto aqui, é a edificação, tudo que ocorre no culto se não for com essa ênfase, precisa ser descartado. Entendendo que a finalidade primaz, é a adoração a Deus, e consequentemente a edificação como nos revela os textos acima. A palavra de Deus é nossa autoridade máxima, fonte de revelação que deve nortear, a nossa vida, nossa conduta. Como tem sido nossos cultos?, tudo que ocorre tem edificado os irmãos? Culto pentecostal, tem que ter a exposição da palavra de Deus,a mensagem cristocêntrica. Nossa adoração tem que ser consciente, racional. Dessa forma o poder do Espírito Santo vai operar, trazendo edificação.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

O CRENTE E AS TRAGÉDIAS DA VIDA.


Uma das maiores dificuldades do crente é lhe dar com a tragédia, não gostamos de adimítir, que estamos sujeitos a fatalidades, doenças, e acidentes. Recentemente, o Brasil viveu a tragédia, do incêndio na Boite KIss, centenas de jovens, perderam a vida, pais tiveram de enfrentar a realidade de sonhos, que foram projetados, em seus filhos, que não vão mais, se realizar. Os crentes, nessa hora, em face a essas tragédias, são apressados em dizer, que era um lugar, de pecado, que foi o diabo que matou, alguns chegam a dizer, que é a mão de Deus fazendo juízo. Mas eu sei, e nós sabemos, que telhado, de igreja evangélica desaba, e mata crentes, que estão em uma reunião de oração, Ex : Igreja Renascer, e Igreja Universal do Reino de Deus. Que igreja Tambem pega fogo, e irmãos morrem queimados. Como foi o caso da Igreja Assembleia de Deus, sede aqui em Belo Horizonte, onde ocorreu um vazamento de gás, houve uma explosão com mortos e feridos. Como explicar, quando a tragédia é do lado de cá? Quando, pessoas boas, de Deus, morrem atropeladas, são assassinadas, morrem de acidentes, deslizamento de terra etc. Jesus nos conta na biblia duas situações de tragédias, e nos ensina lições maravilhosas, do amor e da graça de Deus. Lucas 13:1-5
1 E, naquele mesmo tempo, estavam presentes ali alguns que lhe falavam dos galileus, cujo sangue Pilatos misturara com os seus sacrifícios.
2 E, respondendo Jesus, disse-lhes: Cuidais vós que esses galileus foram mais pecadores do que todos os galileus, por terem padecido tais coisas?
3 Não, vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis.
4 E aqueles dezoito, sobre os quais caiu a torre de Siloé e os matou, cuidais que foram mais culpados do que todos quantos homens habitam em Jerusalém?
5 Não, vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis.
 Para Jesus, telhado cai, incêndios acontece, carro perde os freios, pessoas morrem, acidentes acontecem. Esquecemos que habitamos em um corpo de morte, e que essa vida na terra é transitória. Podemos tirar algumas lições, desse texto, e das tragédias da vida: (1) Precisamos todos de ARREPENDIMENTO, mudança de direção, voltarmos para Deus. (versiculos 2, 3, 4,5)
(2) A MORTE É INEVITAVEL, a vida é um empréstimo de Deus. Se aqueles galileus ou os habitantes de Jesusalém sobre os quais caiu a torre não morressem vítimas daquelas tragédias, eles morreriam de qualquer outra coisa: doenças, acidentes, velhice, etc. “E, como  está ordenado aos homens morrerem uma vez, vindo depois disso  o juízo" (Hebreus 9:27). (3) O HOMEM É VAZO FRACO, FRAGIL Um acidente, a qualquer momento nos pode ser fatal.  Eclesiastes 9:12:
“Que também o homem não sabe o seu tempo; assim como os peixes que se pescam com a rede maligna, e como os passarinhos que se prendem com o laço, assim se enlaçam também os filhos dos homens no mau tempo, quando cai de repente sobre eles”. (3) PREPARE-SE PARA O ENCONTRO COM DEUS,  Isaías 55:6-7:
“Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno os seus pensamentos, e se converta ao Senhor, que se compadecerá dele; torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar.” Termino aqui lembrando o que o meu Senhor Jesus disse : Mateus 10,28 - Não temais os que matam o corpo, mas não podem matar a alma. Antes, temei quem pode destruir a alma e o corpo no inferno. Preciosa é, aos olhos do Senhor, a morte dos seus santos”. Salmo 116:15.   Tragada foi a morte na vitória de Jesus, pela Sua ressurreição, e isto quer dizer que a morte não tem mais vitória, quando se tem fé em Jesus Cristo, o Filho do Deus Eterno.
 I Coríntios 15:54b-55. Jesus é a ressureição e a vida, viver nele, é viver no poder dessa ressureição, nele termina, os fantasmas, os traumas, tragédia? Faz parte do ciclo dessa vida, temos paz com Deus por meio do seu sangue. Jesus, nele, cuja a tragédia não destrói e a morte não mata. Deus te abençoe.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Os Crentes pentecostais da Linha 5 do Metrô [Largo treze~Capao Redondo]


O ESPIRITO SANTO NÃO PROMOVE UMA PALHAÇADA DESSA, ESSE NUNCA FOI O EVANGELHO QUE JESUS PREGOU. INFELÍSMENTE TUDO ISSO É RESULTADO DO ENGANO, QUE EXISTE DENTRO DE MUITAS IGREJAS, QUE SE DIZEM PENTECOSTAL, ONDE NÃO HÁ DISCERNIMENTO DE espiritos. ACREDITO QUE SÃO PESSOAS SINCERAS, POREM USADAS POR UM espirito  ENGANADOR, E RELIGIOSO.

domingo, 17 de fevereiro de 2013

O QUE ESTÁ ACONTECENDO COM NOSSOS PASTORES?


                                                                 


   Por José Pontes
Prezado amigo, colega, companheiro líder, estou escrevendo essas poucas letras direto para você e também para mim mesmo. Poucos minutos antes de escrever essas poucas linhas, recebi um telefonema de um querido pastor e sua primeira palavra foi: PR. PONTES, VOCÊ TEM UM TEMPO PARA ME OUVIR? Falei que sim, foi então que ele me disse da sua dificuldade em ter amigos, dificuldades em se abrir e desconfianças com sua própria igreja e denominação. Disse-me ele: “preciso de alguém que me escute sem me julgar, sem me condenar, etc… etc… etc…” Conversamos por longos minutos, aliás, falei muito pouco, muito pouco mesmo, ele, no entanto, falou o tempo todo, do seu medo, das suas angústias, das suas inquietantes preocupações com a igreja, com sua família, com sua própria vida; depois chorou, chorou muito, sozinho pela manhã, disse-me ele. Depois me perguntou: “Pr. Pontes, o que está acontecendo com nós pastores? Será que isso é Deus trazendo juízo?” Pois, segundo ele, na sua cidade existem muitos pastores tristes, deprimidos, tomando remédios para conseguir conciliar o sono.
Fiquei a ouvir atento aquele amado colega que passa por uma forte crise depressiva, existencial; fiquei realmente a pensar o que na verdade está acontecendo conosco, “líderes” do rebanho de Deus. Comecei então a pensar em algumas possibilidades que quero compartilhar com você querido leitor dessa coluna, são elas:
Primeiro: Acho que nos últimos anos, nós pastores passamos a viver e praticar mais uma religião do que viver a SIMPLICIDADE DO EVANGELHO.
Segundo: As instituições passaram a ter um poder e um domínio fortíssimo sobre os seus líderes; as pessoas, o rebanho passaram a ser segundo plano.
Terceiro: O pastor não tem pastor que cuide dele mesmo. Não tem amigos, se isola, às vezes é autossuficiente.
Quarto: As igrejas locais estão abarrotadas de programações e atividades, e isso gera muito peso, muito trabalho e pouca produção de santidade e crescimento espiritual sadio.
Quinto: O pastor não prioriza seu casamento nem seus filhos.
Sexto: Existe no meio pastoral muita indisciplina do seu tempo e no cuidado do seu próprio corpo e da sua saúde mental.
Sétimo: Muitos pastores querem pastorear a geração de hoje com os mesmos métodos e formas de 10, 20 anos atrás – isso gera angústia e impotência. Bem, esses são apenas alguns aspectos do que considero como combustíveis que estão alimentando essa forte crise do meio pastoral. AGORA, A PERGUNTA É: FORAM APONTADOS OS POSSÍVEIS ERROS, MAS QUAL A SOLUÇÃO ?
Respondo de forma mais simples possível: se o líder quer dar um novo rumo a sua vida ou mesmo fazer consigo mesmo um trabalho preventivo contra essa crise que assola a liderança, então é copiar cada um dos pontos acima, refletir e começar a combater UM POR UM. Levando isso a sério, o líder será mais saudável nos mais variados aspectos.
ENTÃO, MÃOS A OBRA, OU SENÃO FIQUE NO MESMO ESTADO E DAQUI A ALGUNS DIAS ESTAREMOS NOS CONSULTÓRIOS PSIQUIÁTRICOS E PSICOLÓGICOS.
MAS, ACONSELHO A MIM E A VOCÊ: FAÇAMOS A CERTO HOJE PARA AMANHÃ NÃO ESTARMOS CHORANDO.
Abraço amigo,
Pr. José Pontes
(Fonte: Site da Vinacc)

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

DEUS NÃO DERRAMA SANGUE DE HOMENS, JESUS JÁ O FEZ


 
Infelizmente, essa é a teologia moral de causa e efeito, quem não tem discernimento, recebe essa palavra como se fosse Deus falando. Assim tem sido a visão de quem não conhece a graça de Deus através do evangelho. Veja que esse tem sido um deus que o evangélico neo pentecostal criou, um deus que mata os impios, um deus que esta mandando os impios para o inferno. A pregadora, usa a eloquência, mas prega texto fora de contexto, criando uma visão terrorista, sem reconhecer a cruz de Cristo. Porque Deus mataria, apenas alguns que ela cita, será que foram só eles que blasfemaram contra Deus?, no meio de um planeta de 7 bilhões de pessoas, eles foram os únicos? Onde esta o evangelho nessa pregação?, sei que um dia o juízo de Deus virá, mas agora temos um advogado justo que intercede por nós. Impio é quem não esta dentro de uma igreja evangélica? essa tem sido uma mentalidade de engano, que esse cristianismo, sem a Graça tem criado, uma verdadeira desgraça. Lembrando que a pregadora Lana holder, voltou a pratica do lesbianismo, abriu uma igreja de lésbica e homossexuais, hoje ela prega, que Deus não liberta,  inclusive ela tem uma namorada. Será que ela ainda continua pregando com essa eloquência toda? será que o deus que ela prega ainda mata?, creio que sim, mas o Deus do evangelho, encarnado em Cristo Jesus, veio para dar vida e vida com abundancia. Veja a graça do Deus encarnado em Cristo Jesus: (II Cor 5:19) a saber, que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões, e nos confiou a palavra da reconciliação). (Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo; (Romanos 5:1).
 (Aquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus (2 Coríntios 5:21)

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

O QUE REALMENTE SIGUINIFICA DIZER , EU NÃO ESTOU DEBAIXO DA LEI





O Que Realmente Significa Dizer "Eu Não Estou Debaixo da Lei?"

Tony Cooke
Quando um crente diz "eu não estou debaixo da lei", comumente pensamos que a pessoa está dizendo "eu não estou debaixo da Lei de Moisés". Isto reflete uma compreensão apurada das Escrituras. Até mesmo um estudo superficial dos livros de Romanos e Gálatas mostrará isto. Como exemplo, vemos Paulo falando claramente sobre a Lei de Moisés quando ele escreveu
Romanos 3.19,20 – “Ora, sabemos que tudo o que a lei diz, aos que vivem na lei o diz para que se cale toda boca, e todo o mundo seja culpável perante Deus, visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei, em razão de que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado”.
Gálatas 2.16 – “Sabendo, contudo, que o homem não é justificado por obras da lei, e sim mediante a fé em Cristo Jesus, também temos crido em Cristo Jesus, para que fôssemos justificados pela fé em Cristo e não por obras da lei, pois, por obras da lei, ninguém será justificado.”
Gálatas 3.10,11 – “Todos quantos, pois, são das obras da lei estão debaixo de maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas escritas no Livro da lei, para praticá-las. E é evidente que, pela lei, ninguém é justificado diante de Deus, porque o justo viverá pela fé.”
Mas aqui nós temos alguns questionamentos importantes:
1. Não estar "debaixo da lei" significa que os cristãos estão sem lei? 
2. Significa que eles não aceitam qualquer influência ou que não há qualquer autoridade que governe suas vidas? 
3. Não estar "debaixo da lei" significa que os crentes não tenham qualquer restrição moral ou qualquer tipo de padrão ético?
Se estes são exemplos do que um cristão quer dizer em sua declaração de que não está "debaixo da lei", então teremos um verdadeiro problema em relação ao restante da Palavra de Deus. 
Paulo disse, "Se sois guiados pelo espírito, não estais debaixo da lei" (Gálatas 5.18). Nosso propósito na vida não é simplesmente nos livrar da escravidão das regras e regulamentações associadas ao Antigo Testamento; em vez disso, o objetivo de Deus é que nossas vidas sejam plenamente governadas pelo Espírito Santo, pela sua Palavra, e pelo seu amor.
É essencial que entendamos que a palavra "lei" nas Escrituras não se refere sempre à Lei e Moisés. Mesmo no Antigo Testamento, Provérbios 31.26 faz referência a "lei da beneficência". Quando chegamos ao Novo Testamento, descobrimos que o uso da palavra lei - referindo-se a um princípio diretivo e orientador - tem um alcance muito mais amplo de significado do que simplesmente "a lei de Moisés".
1. Romanos 3.27 fala da "lei da fé"; 
2. Romanos 8.2 menciona a "lei do espírito de vida em Cristo Jesus"; 
3. Gálatas 6.2 nos diz para "levarmos a carga uns dos outros, e assim, cumpriremos a lei de Cristo"; 
4. Tiago 1.25 fala da "lei perfeita da liberdade" (também mencionada em Tiago 2.12); 
5. Tiago 2.8 fala do amor (amar o próximo como a si mesmo) como a lei régia ou lei real.
Mesmo com todas estas referências poderosas, talvez a mais penetrante declaração que diferencia a "lei de Moisés" de outros aspectos dos princípios divinos que governam e influenciam as nossas vidas, seja encontrada naquilo que Paulo disse em 1 Coríntios 9.21:
"Quando estou com os gentios que não seguem a lei judaica, eu também vivo sem essa lei para que eu possa trazê-los a Cristo. Mas eu não ignoro a lei de Deus; eu obedeço à lei de Cristo" (New Living Translation).
Observe que Paulo diferencia "a lei judaica" da "lei de Deus" e da "lei de Cristo". Se eu disser "eu não estou debaixo da lei", e estiver me referindo a Lei de Moisés (ou como Paulo a chama aqui "a lei judaica"), isto seria perfeitamente apropriado. Mas se eu quero dizer que sou livre para fazer o que eu quiser e que eu posso viver como quiser, sem qualquer consideração para com a influência da Palavra e do Espírito de Deus em minha vida, então eu entendi terrível e grosseiramente errado o ensino do Novo Testamento.
Romanos 13.8-10 - “...quem ama o próximo tem cumprido a lei. Pois isto: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não cobiçarás, e, se há qualquer outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. O amor não pratica o mal contra o próximo; de sorte que o cumprimento da lei é o amor.”
Deveríamos compreender claramente que a palavra "lei" não é uma palavra ruim na Bíblia. A Lei de Moisés não poderia nos justificar; este nunca foi seu propósito. Mesmo assim, o problema não era a lei em si. O problema éramos NÓS! Paulo disse que "a lei é santa, e o mandamento, santo, e justo, e bom" (Romanos 7.12). Ele disse, "a lei é espiritual" (Romanos 7.14), e novamente, noutro lugar, "a lei é boa, se alguém dela se utiliza de modo legítimo" (1 Timóteo 1.8 ). A lei estabelecia um padrão de justiça com o qual não poderíamos nos equiparar. Portanto, é a nossa confiança na lei em nos salvar que é inútil. Quando confiamos em nosso desempenho, (que nunca pode se equiparar a perfeição absoluta), estamos confiando em nós mesmos e não na obra redentora de Cristo. Então, a Lei de Moisés, em si mesma e por si mesma, é boa; ela simplesmente revelou que nós não éramos.
O que é usado de forma 100% negativa nas Escrituras não é o conceito da lei, mas sim o conceito da falta de lei. Se você pegar uma concordância bíblica e procurar pelas palavras iníquo e iniquidade nas Escrituras (que dizem respeito à ausência ou ao desprezo da lei), você verá que as passagens são absolutamente negativas. João disse que "qualquer que comete o pecado também comete iniquidade, porque o pecado é iniquidade" (1 João 3.4 - ARC).
Como cristãos, não estamos debaixo da Lei de Moisés, mas com certeza não estamos sem lei, não somos iníquos. Mesmo a doutrina da graça no Novo Testamento, que frequentemente é posta em contradição com a lei (veja João 1.17), de forma alguma conduz o crente para uma vida de iniquidade, uma vida sem regras. Paulo disse, "o pecado não terá domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei, e sim da graça. E daí? Havemos de pecar porque não estamos debaixo da lei, e sim da graça? De modo nenhum!" (Romanos 6.14,15).
Por que um crente deveria por seu foco mais no negativo do que no positivo? Em vez de simplesmente dizer "eu não estou debaixo da lei [de Moisés]", talvez deveríamos considerar em pôr o foco mais no que realmente governa e influencia nossas vidas. Por que não confessamos o seguinte:
1. A lei régia, a lei real, me governa; 
2. A lei do espírito de vida em Cristo Jesus me governa; 
3. Eu estou debaixo da influência do amor de Deus, do seu espírito, da sua Palavra e da sua graça; 
4. A lei de Cristo me capacita a me tornar qualquer coisa que Deus queira que eu seja, e me dá condições de realizar a vontade de Deus na minha vida de forma eficaz!
Como Paulo, podemos dizer, "não que eu esteja sem a lei de Deus ou esteja sem lei para com Deus, mas eu a estou [mantendo de forma especial] dentro de mim e estou comprometido com a lei de Cristo" (1 Coríntios 9.21 - Amplificada)