terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

GRAÇA : FAVOR IMERECIDO.


Muitos ainda usam o termo "graça" apenas para se referirem a alguma vantagem recebida da parte de Deus. Ao receberem a manifestação de uma cura, por exemplo, dizem: "recebi uma graça de Deus". Contudo, a Graça não é só isso.
A palavra Graça vem do grego "cáris" e significa, literalmente, quer dizer "Boa vontade", "amabilíssimo favor". Neste caso, um favor sem qualquer merecimento. Ou seja, a Graça é um favor dado por Deus sem que nos seja exigido qualquer esforço em prol de um merecimento. O maior desses favores é a nossa Salvação Eterna. Nós a temos pelo Seu amor e misericórdia. É bem verdade que tudo isso teve um preço. Contudo, este preço não é para ser pago por nós. Ele já foi pago por Cristo: "...não por obras de justiça praticadas por nós, mas segundo sua misericórdia, Ele nos salvou..." (Tito 3:5).
É impossível definir a Graça (Efésios 3:8). Porém, podemos dizer o que significa viver em Graça: Quem vive em Graça não depende de esforços próprios da carne e cerimônias (jejuns,  vigílias, montes, para serem salvos.), mas depende completa e exclusivamente de Deus; quem vive em Graça não teme o diabo, pois já conhece o destino que Cristo atribuiu a ele na cruz; quem vivem em Graça não teme perder a Salvação, pois conhece sua posição diante do Senhor e sabe da fidelidade de Deus para com as Suas ovelhas; quem vive em Graça descansa nas promessas de Deus, sabendo que elas se manifestarão pela fé; em suma, quem vive em Graça confia PLENAMENTE na suficiência da Obra maravilhosa realizada por Cristo na cruz.

A LIBERDADE NA GRAÇA DE DEUS.



A LIBERDADE GLORIOSA DOS FILHOS DE DEUS
“Na esperança de que também a própria criação há de ser liberta, para participar
da gloriosa liberdade dos filhos de Deus.” Rom 8:21 
Uma das coisas que mais assusta o sistema religioso cristão é, justamente, a síntese do resultado de toda Obra de Cristo: A LIBERDADE. Afinal, a força da lucratividade de toda religião – quero me ater aqui às de origem cristã – é o mantenimento das pessoas presas às suas doutrinas, mandamentos, imposições, proibições e coisas que valham. E a grande questão dos líderes religiosos cristãos é esta: como manter (isto é, prender) uma pessoa em nosso sistema pregando a esta mesma pessoa que ela é livre? Por isso, quando eles conhecem o Evangelho da Graça, a todo custo querem escondê-lo das ovelhas, e isto, por que o Evangelho da Nova Aliança abre olhos da Igreja para os benefícios Obra de Jesus Cristo pelo Seu povo; dentre eles, a liberdade.
A Bíblia revela que o Senhor veio para nos libertar e foi o que Ele já fez por nós, pois tudo já está consumado (João 19:28-30). Encontramos diversos fundamentos para crermos piamente que já fomos libertos:
1) O Senhor nos libertou do PECADO:
“...mas agora, na consumação dos séculos, uma vez por todas se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo.” (Hebreus 9:26)
“E a vós, quando estáveis mortos nos vossos pecados (...) vos vivificou juntamente com ele, perdoando-nos todos os pecados (...), removendo inteiramente do meio de nós, encravando-o na cruz.” (Colossenses 2:13)
2) O Senhor já nos libertou do DIABO (e demônios) e de seu império:
“Ele nos libertou do império das trevas...” (Colossenses 1:13)
“...para que por Sua morte destruísse aquele que tinha o império da morte, isto é, o Diabo.” (Hebreus 2:14)
3) O Senhor já nos libertou da LEI DE MOISÉS, de seus mandamentos e de sua maldição:
“Pois Cristo é o fim da lei para justificar a todo aquele que crê.” (Romanos 10:4)
“Mas agora fomos libertos da lei...” (Romanos 7:6)
Esta é a posição de todos os filhos do Senhor: LIVRES! Apesar disso, o sistema cristão (por motivos citados no início deste texto) oculta do povo a sua real conjuntura espiritual em Cristo. Por isso o povo de Deus vive AINDA em busca e lutando por uma libertação que, como já vimos, já é um fato consumado. Talvez você se pergunte agora: “O que o povo precisar fazer então para tomar posse de sua liberdade?”. A resposta é simples: sair das garras da religião e conhecer a Verdade.
“Conhecereis a Verdade e a VERDADE vos libertará” (João 8:32)
Infelizmente, por não conhecer a Verdade dos benefícios da Obra de Cristo na cruz, o povo do Senhor vive à mercê de mandamentos criados por homens na religião (Colossenses 2:20-23) e ainda julgam aqueles que, por conhecer a Graça, desfrutam de sua liberdade. Recentemente recebi um e-mail de uma irmã me dizendo que estava cantarolando uma música popular e logo foi abordada por uma dessas “crentes roxas” (palavras dela) que logo a acusou de ter “perdido a unção” e a presença do Espírito Santo, e isto apenas por que a irmã cantava uma música “do mundo”. Ou seja, esta pessoa, naturalmente, não sabe que é livre para, por exemplo, ouvir e cantar a música que quiser com boa consciência e ainda julga quem o faz. E o que é pior: muitas vezes quem julga, no fundo quer praticar aquilo que está julgando ser errado. É como diz o famoso ditado: “Quem desdenha quer comprar”.
É uma pena que a maioria do povo de Deus é infeliz por não desfrutar de sua vida, porque a religião impede com seus mandamentos proibitivos. Assim, o povo vive atarantado e perdido no meio de tanto legalismo, tantas proibições e imposições.
O Senhor Jesus não nos libertou para agora nos colocarmos debaixo do jugo de homens desviados da verdade. O Senhor nos libertou para de fato sermos LIVRES. Isto é, para, com boa consciência e responsabilidade, pensando sempre no bom testemunho, desfrutarmos da liberdade que Cristo conquistou.
“Para a liberdade Cristo nos libertou; permaneçam, pois, firmes e não se submetam novamente a um jogo de servidão.” (Gálatas 5:1)
Durante anos me foi ocultado o que Gálatas 5:1 revela. Nenhum de meus líderes do sistema religioso teve a ousadia e a capacidade de ler e ensinar este versículo em suas palestras, pois, como eu disse no início, os religiosos têm medo de ensinar sobre uma das maiores consequências da Obra do Senhor por nós: A LIBERDADE GLORIOSA.
DEUS JÁ NOS ABENÇOOU!
Em Graça e no amor de Cristo, seu amigo,
FONTE : A graça de Deus.