sábado, 10 de março de 2012

MEDO DA GRAÇA UM CRISTIANISMO SUPERFICIAL E VAZIO.



A GRANDE questão é que a Graça é um problema para os cristãos desde o inicio. Ela é um problema na mesma medida em que por ela a Verdade nos Liberta, conforme o testemunho do Espírito de Deus em nossos corações.
Todavia, quem, de fato, quer cura e libertação?
O problema da Graça é a liberdade que ela gera. Liberdade é apavorante, nos deixa sem chão, nos obriga a andar com as próprias pernas, concede-nos a benção de pensar, sentir, discernir e nos julgar.
O problema da Graça é que ela nos faz profundamente autoconscientes e, ao mesmo tempo, nos dá a certeza de que diante de Deus a única voz que se faz ouvir não brota dos meus lábios, mas de minha consciência.
A Graça gera autoconsciência! E quem deseja ter uma? Muito pouca gente!
A maioria não deseja ter que decidir e assumir a responsabilidade de ter exercido a sua própria consciência diante de Deus e dos homens, e, sobretudo, diante de si mesmo.
Portanto, quanto mais religioso é um ser, menos consciência pessoal ele tem!
Consciência siguinifica  responsabilidade de liberdade, e, esta, só se manifesta em plenitude na Graça, pois, é somente nela que se perde o medo de ser!
A questão é que a maioria das pessoas pensa que liberdade induz ao erro.
Nenhum erro poderia ser maior!
Paulo nos ensina que quanto mais Lei ou Moral, mais conhecimento do pecado. E, sendo assim, mais a neurose do pecado se instala em nós.
Ou seja, a Lei gera a certeza da culpa e esta nos joga nos braços do pecado. E por quê? Porque a Lei gera neurose, que produz a obsessão de vencer por conta própria “o pecado que habita em mim”, segundo Paulo.
E é Paulo também, como já vimos anteriormente, quem nos diz que é impossivél a Lei ser boa, quanto a nos fazer viver em paz. Infelizmente, dentro das igrejas os chamados cristãos preferem uma coleira, ou um cabresto chamado religião, onde um líder (pastor) proíbe que os crentes vivam na graça, porque a experiência de novo nascimento é tão vazia, que esses irmãos têm medo da liberdade em Cristo virar libertinagem. Para esses irmãos deixo esse versículo: Se, pois o filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres (João 8:36).


2 comentários:

  1. Diego Rocha20/3/12 1:31 PM

    A Paz Pr. Laerte

    Esta Claro que o evangelho da Graça, vem com intuito de mostrar e nos ensinar que devemos abandonar as praticas da justiça própria, nos libertar da autojustificação, e correr para a justificação em Cristo, pela fé na Justiça do Calvário e esse mesmo evangelho
    que nos traz uma consciencia que hoje nao devemos mais seguir praticas religiosas mas a lei moral que esta dentro dos nossos corações e na consciencia humana onde o proprio Deus nos mostra que somos livres e nao escravos e essa liberdade nao significa libertinagem ou perdição justificada atraves de uma graça sem graça mas é o proprio Deus operando em nòs

    ResponderExcluir
  2. Olá Diego, muito boa a sua participação, fico feliz, com o seu comentario, é isso ai, somos justificados, pela oferta do senhor Jesus por nós, o limite da graça, é essa liberdade em Cristo. Porem a lei que nos rege como voce colocou muito bem, é a conciencia moral, que nos conduz através do Espirito santo. Somos livres, a vida de Deus esta em nós, somos libertos da auto justificação propia. Mas sabemos que o Espirito de Deus que em nós opera, sempre vai nos dirigir em uma liberdade santa, que não quer que vanhamos corromper. Deus continue te abençoando, juntamente com toda a sua familia.

    ResponderExcluir