sexta-feira, 1 de abril de 2011

As línguas estranhas como sinal do batismo

Aqueles que falam em línguas estranhas e não produzem os frutos do próprio Espírito Santo não só estão enganando os outros, mas também a si mesmos


Todos os que são batizados com o Espírito Santo podem falar línguas estranhas, mas nem todos os que falam línguas estranhas são batizados com o Espírito Santo. É muito difícil para alguém que pensa ser batizado e fala em línguas estranhas aceitar essa verdade, mas os frutos da sua própria vida são testemunhos do engano em que vive.Realmente, todos os que foram batizados com o Espírito Santo tiveram a evidência do falar em outras línguas, e, como consequência, não só se manifestaram como verdadeiros instrumentos nas mãos de Deus, mas também deram testemunhos de que traziam dentro deles a própria ressurreição do Senhor Jesus, vivendo em novidade de vida.
Aqueles, portanto, que falam em línguas estranhas e não produzem os frutos do próprio Espírito Santo não só estão enganando os outros, mas também a si mesmos, pelos espíritos imundos que neles habitam e que também sabem falar em línguas estranhas, tentando imitar o Espírito de Deus.
Como saber se as línguas estranhas são de Deus ou do diabo?
Dentre os frutos do Espírito Santo na vida de uma pessoa podemos citar os pensamentos livres de maldades, de ciúmes doentios e de desconfianças excessivas; no linguajar, palavras de amor em vez de palavrões.
No coração, desejo de estar em comunhão com os irmãos da fé e, sobretudo, com Deus, através de orações e jejuns, e sempre procurando desviar os pés do caminho do mal.
Sentindo-se em paz consigo mesma e, acima de tudo, com Deus, a pessoa perdoa aqueles que um dia a ofenderam e tem grande desejo de salvar almas para o Reino de Deus.
Isso tudo sem sentir na própria carne os sintomas de outrora, tais como insônia; medo; nervosismo; desejo de suicídio; tonteiras; desmaios e vícios.
Em Atos 2.3-6, encontramos a evidência de línguas estranhas após o derramamento do Espírito Santo, como no dia de Pentecostes. Vejamos ainda: “E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e tanto falavam em línguas como profetizavam.” (Atos 19.6).

O batismo com o Espírito Santo e o dom de línguas
“Ainda Pedro falava estas coisas quando caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra. E os fiéis que eram da circuncisão, que vieram com Pedro, admiraram-se, porque também sobre os gentios foi derramado o dom do Espírito Santo; pois os ouviam falando em línguas e engrandecendo a Deus…” Atos 10.44-46