domingo, 23 de janeiro de 2011

VOLTA IGREJA, O NOIVO VIRÁ.

 Volta, igreja às reuniões de oração em que arrependimento e quebrantamento eram a tônica, hoje  nessas suas reuniões de oração os membros se preocupam em receber fogo do céu, e tudo o que experimenta é fogo de palha! Busque o arrependimento. Busque o arrependimento  igreja, e quem sabe o Senhor terá misericórdia de nós. Volta, igreja a reconsiderar os caminhos por onde você tem trilhado. Volte a estudar a palavra de Deus, as bem-aventuranças, valorise o culto de oração, reconsidere sua missão de evangelizar; de fazer discípulos; de cuidar dos pobres. Igreja pentecostal, que de pentecostes só tem o nome: Volte à prática da vida de devoção e de compromisso com o Senhor. . Voltem, pregadores a pregar mensagens expositivas; a expor a palavra de Deus, pregue o evangelho, a mensagem da cruz, porque tudo o que vocês pregam são tópicos carregados de emoção que em nada edificam os crentes.  Pregadores, parem de pregar mensagens que só produzem cócegas nos ouvidos dos seus fieis; comecem a pregar mensagens que perturbem os membros de suas igrejas. Mensagem que os deixe inquietos! Volta, igreja a considerar a palavra de Deus como lema para a vida diária. Deus diz aos pastores a mesma coisa que disse ao líder da igreja de Éfeso: Se não, virei e removerei de ti o teu candelabro. A igreja é o candelabro de Deus. Vocês continuarão sendo pastores, mas sem candelabro. Terão povo, mas não é povo que ilumina. Terão freqüentadores, mas não discípulos de Jesus. Faz muito tempo que Deus tirou o candelabro da mão de alguns pastores! Estes têm milhares de membros; mas não a igreja! Porque o verdadeiro candelabro, a igreja, continua nas mãos do Senhor Jesus.

  

sábado, 22 de janeiro de 2011

John Piper - O que é Pregação? Pregação Expositiva.

Marcas de uma igreja saudável: Marca 1 - Pregação Expositiva

Marcas de uma igreja saudável: Marca 1 - Pregação Expositiva . O ponto para começar a falar sobre as marcas da igreja saudável é onde Deus começa conosco – o modo como Ele fala conosco. Foi por aí que a nossa própria saúde espiritual veio, e é por esse caminho que a saúde de nossas igrejas virá também. Especialmente importante para qualquer um que esteja na liderança de uma igreja, mas particularmente para o pastor, é um compromisso com a pregação expositiva, um dos mais antigos métodos de pregação. Trata-se da pregação cujo objetivo é expor o que é dito em uma passagem particular da Bíblia, explicando cuidadosamente seu significado e aplicando-o à congregação (veja Neemias 8:8). Existem, evidentemente, muitos outros tipos de pregação. Sermões tópicos, por exemplo, coletam tudo o que a Bíblia ensina sobre um único assunto, como a oração ou a contribuição. A pregação biográfica aborda a vida de alguém na Bíblia e retrata-a como uma demonstração da graça de Deus e como um exemplo de esperança e fidelidade. Mas a pregação expositiva é algo diferente - uma explicação e aplicação de uma porção particular da Palavra de Deus. "(...) os pregadores cristãos de hoje têm autoridade para falar da parte de Deus somente se proclamarem as palavras dEle." A pregação expositiva presume uma convicção na autoridade da Bíblia, mas é algo mais. Um compromisso com a pregação expositiva é um compromisso de ouvir a Palavra de Deus. Assim como os profetas do Antigo Testamento e os apóstolos do Novo Testamento não receberam apenas uma ordem para ir e falar, mas uma mensagem específica, os pregadores cristãos de hoje têm autoridade para falar da parte de Deus somente se proclamarem as palavras dEle. Assim, a autoridade do pregador expositivo começa e termina com as Escrituras. Às vezes as pessoas podem confundir pregação expositiva com o estilo de um pregador expositivo predileto, mas não é fundamentalmente uma questão de estilo. Como outros já observaram a pregação expositiva não é tanto sobre como nós dizemos o que dizemos, mas sobre como nós decidimos o que dizer. Não é marcada por uma forma particular, mas por um conteúdo bíblico. Pode-se aceitar alegremente a autoridade da Palavra de Deus e até mesmo professar a convicção na inerrância da Bíblia; ainda assim se na prática (propositalmente ou não) alguém não prega expositivamente, nunca pregará além do que já sabe. Um pregador pode tomar um trecho das Escrituras e exortar a congregação em um tópico que é importante sem que ele realmente pregue o ponto abordado na passagem. Quando isso acontece, o pregador e a congregação só ouvem nas Escrituras o que eles já sabiam. "Como outros já observaram a pregação expositiva não é tanto sobre como nós dizemos o que dizemos, mas sobre como nós decidimos o que dizer." Em contrapartida, quando pregamos uma passagem das Escrituras no contexto, expositivamente - tomando o ponto da passagem como o ponto da mensagem - nós ouvimos de Deus coisas que nós não pretendíamos ouvir quando começamos. Desde a chamada inicial ao arrependimento até a área de nossas vidas em que o Espírito nos condenou recentemente, a nossa salvação inteira consiste em ouvir a Deus de modos que nós, antes de ouvi-lO, nunca teríamos adivinhado. Esta submissão extremamente prática à Palavra de Deus deve ser evidente no ministério de um pregador. Não se deixe enganar: em última instância, é responsabilidade da congregação assegurar que as coisas sejam assim (observe a responsabilidade que Jesus põe sobre a congregação em Mateus 18, ou Paulo em 2 Timóteo 4). Uma igreja jamais pode colocar como supervisor espiritual do rebanho uma pessoa que não demonstra na prática um compromisso claro em ouvir e ensinar a Palavra de Deus. Agir assim é impedir inevitavelmente o crescimento da igreja, praticamente encorajando-a a só crescer até o nível do pastor. Se assim for, a igreja será conformada lentamente à mente dele, em vez de ser conformada à mente de Deus. O povo de Deus sempre foi criado pela Palavra de Deus. Da criação em Gênesis 1 até a chamada de Abraão em Gênesis 12, da visão do vale dos ossos secos em Ezequiel 37 até a vinda da Palavra Viva, Deus sempre criou o Seu povo através da Sua Palavra. Como Paulo escreveu aos romanos, “a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo” (10:17). Ou, como ele escreveu aos coríntios, "Visto como, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por sua própria sabedoria, aprouve a Deus salvar os que crêem pela loucura da pregação" (1 Cor. 1:21). "Uma igreja construída sobre a música – seja qual for o estilo - é uma igreja construída sobre a areia." A pregação expositiva sadia freqüentemente é o manancial de crescimento em uma igreja. Na experiência de Martinho Lutero, tal atenção cuidadosa para com a Palavra de Deus foi o princípio da reforma. Nós também precisamos estar comprometidos em sermos igrejas que sempre estão sendo reformadas de acordo com a Palavra de Deus. Certa vez, quando eu estava ensinando em um seminário sobre puritanismo em uma igreja de Londres, eu mencionei que os sermões puritanos às vezes duravam duas horas. Diante disso, uma pessoa perguntou, "Quanto tempo sobrava para a adoração?" A suposição era de que ouvir a palavra de Deus pregada não constituía adoração. Eu respondi que muitos cristãos protestantes ingleses teriam considerado a possibilidade de ouvir a palavra de Deus no seu próprio idioma e de responder a ela nas suas vidas como a parte essencial da sua adoração. Se eles teriam tempo para cantar juntos seria comparativamente de pouca importância. Nossas igrejas têm que recuperar a centralidade da Palavra na nossa adoração. Ouvir a Palavra de Deus e responder a ela pode incluir louvor e ações de graças, confissão e proclamação, e qualquer destas coisas pode vir na forma de canções, mas nenhuma delas precisa ter essa forma. Uma igreja construída sobre a música – seja qual for o estilo - é uma igreja construída sobre a areia. Pregar é o componente fundamental do pastorado. Ore por seu pastor, para que ele se dedique a estudar Bíblia rigorosa, cuidadosa e seriamente, e para que Deus o conduza na compreensão da Palavra, na aplicação dela à sua própria vida, e na aplicação dela à igreja (veja Lucas 24:27; Atos 6:4; Ef. 6:19-20). Se você é um pastor, ore por estas coisas para si mesmo. Ore também por outros que pregam e ensinam a Palavra de Deus. Finalmente, ore para que nossas igrejas assumam um compromisso de ouvir a Palavra de Deus pregada expositivamente, de forma que os rumos de cada igreja sejam crescentemente moldados pela agenda de Deus expressa nas Escrituras. O compromisso com a pregação expositiva é uma marca de uma igreja saudável. Autor: Mark Dever Fonte: [ Bom Caminho ]

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

INTIMIDADE ATRAVÉS DA ORAÇÃO.

Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus. (fip 4:6,7 ) Quando praticamos a oração como um estilo de vida, nós atingimos uma posição de relacionamento com Deus, onde o Espírito Santo tem liberdade para nos guiar, de forma que a paz de Deus se torna notória em nós. O apostolo Paulo no versículo sete nos encoraja a levar diante de Deus em oração todas as nossas petições, necessidades, tudo que se relaciona a nossa vida. Veja que Paulo fala da oração em uma escala ascendente, ou seja, devemos orar, suplicar, com ação de graças. O homem é composto de espirito, alma e corpo, quando praticamos a oração, estamos em comunicação, com o Espirito de Deus, somos alimentados na comunhão com o Pai, através da oração, falamos com Deus, ele fala com nosco, desfrutamos de intimidade com o Criador, o Espirito santo exerce o seu ministério na oração, E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis (ro 8:26). Veja que nosso espirito é ministrado na oração. Temos porem uma alma : Paulo fala da súplica, pedir com insistência, derramar tudo que esta em nós, rasgar o coração, expressar os sentimentos, magoas, temores, duvidas, e tudo aquilo que precisa ser colocado para fora que muitas vezes causa até mal. Através da súplica somos curados em nossa alma, Jesus no getsemani suplicava ao pai pois estava profundamente angustiado em sua alma, ele sabia que breve tería que beber o cálice da ira de Deus pelo pecado da humanidade (mt 26:39 ). Ação de graças é o reconhecimento, que a nossa vida esta nas mãos de Deus, Deus que é amor, ele tem o controle de todas as coisas, ele com seus braços de amor, nos abraça, protegendo, sustentando, e nos levando além em um nivél mais profundo de revelação e intimidade. A paz de Deus será o resultado de uma vida de oração, a oração como estilo de vida, nos fará andar sobre as agúas do Espirito, intimidade, Mas tu, quando orares, entra no teu quarto e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente (mat 6:6).

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

COMBATENDO O BOM COMBATE


Possuímos espírito, alma e corpo. Quando nos deixamos ser dominados por sentimentos da alma como: Lutas, derrotas, decepções e fracassos somos paralisados, porque a nossa alma é carregada de informações do passado e muitas vezes reagimos negativamente, refletindo a emoção anterior no comportamento de hoje, obscurecendo o fato de que em Cristo somos recriados. O cristão necessita andar pelo Espírito, o nosso espírito precisa de alimento, quando recebemos Jesus como Senhor e Salvador somos como um bebê. O espírito do ser humano é como um recém nascido que precisa ser alimentado da Palavra para crescer, fortalecer, avançar, conquistar e dominar a alma que é a sede das emoções. As frustrações são capaz de paralisar a caminhada e o crescimento espiritual. A fonte para o crescimento espiritual é a Palavra de Deus, a oração, consagração, separação e busca. Nunca devemos buscar  sentir algo que muitas vezes estão no campo das emoções. Devemos fundamentar nosso relacionamento com o Senhor Jesus, na revelação da palavra. Siga em frente, faça o que ninguém fez, suba onde ninguém nunca subiu, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz, morra para o pecado, o que antecede a ressurreição é a morte, se com ele morremos, com ele também ressuscitaremos. Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. (II Timóteo 4: 7).

Leonard Ravenhill - Biografia



Homens como este, a Igreja tem um débito muito grande a ser pago. O curioso é que ela raramente tenta pagá-lo enquanto está vivo. Ao invés disso, a próxima geração ergue seu sepulcro e escreve sua biografia — como se fosse instintivamente e envergonhadamente quitar uma obrigação que a geração anterior ignorou completamente.
Quando faleceu em Novembro de 1994, Ravenhill foi enterrado no mesmo cemitério que Keith Green. Em sua lápide está escrito:
Topo: "Carregado por Anjos"
Base: "AS COISAS PELAS QUAIS VOCÊ TEM VIVIDO VALEM A MORTE DE CRISTO?"

domingo, 16 de janeiro de 2011

RIOS DE ÁGUA VIVA.

Quem crê em mim, como diz a Escritura, do seu interior correrão rios de água viva. Ora, isto ele disse a respeito do Espírito que haviam de receber os que nele cressem; pois o Espírito ainda não fora dado, porque Jesus ainda não tinha sido glorificado.(João 7: 38,39). Cristianismo não é religião, Jesus veio para nos dar uma vida de relacionamento, verdadeira e profunda com Deus o pai. Essa promessa feita pelo senhor, se cumpriu em atos cap.2, quando o Espírito santo foi derramado no dia de pentecostes. Quando acontece o processo da salvação, o crente em Jesus recebe pela fé a o Espírito santo. Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa (efe 1:13). O Espírito santo passa a habitar na vida do crente como consolador, glorificando o Senhor Jesus, e o conduzindo a toda a verdade. Quando nos deixamos guiar pelo Espirito Santo, somos envolvidos por uma dimensão de gozo, e suprimento espiritual, rios de água viva passa a jorrar em nós, Deus através de seu santo Espirito vai nos moldando, fortalecendo, revelando sua santa palavra, e nos levando para um novo nivél de adoração e comunhão em Cristo. Que maravilha não estamos lutando com nossas forças, com o braço da carne para vivermos a vida cristan, temos um consolador que o mundo não pode receber, o Espírito da verdade, ele habita com todo o crente em Jesus. Recebemos esse poder para sermos testemunhas vivas do senhor, que a cada dia tenhamos fome e sede do pão vivo que desceu do céu, da água da vida que mata toda a sede. E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito; (efe 5:18).

domingo, 9 de janeiro de 2011

Billy Graham em entrevista na Tv reflete, “…meu tempo é limitado” – Assista


"que se pudesse fazer tudo de novo, ele iria gastar menos tempo em viagens e mais tempo na meditação e na oração".
Billy Graham concedeu sua primeira entrevista depois de vários anos no dia 20 de dezembro, disse a Greta Van Susteren da Fox News “que se pudesse fazer tudo de novo, ele iria gastar menos tempo em viagens e mais tempo na meditação e na oração”.O evangelista de renome, hoje com 92 anos, falou com Van Susteren pouco antes da reunião com o ex-presidente George W. Bush e sua esposa Laura, juntamente com seu filho Franklin Graham e Jane, iriam almoçar em Charlotte, Carolina do Norte. O casal Bush estavam na Biblioteca de Billy Graham, para assinar cópias de sua autobiografia.
Van Susteren perguntou para Graham, se ele tem esperança, e Graham disse que tem uma enorme quantidade de esperança, porque ele é um crente em Jesus Cristo, que ressuscitou dos mortos e “está vivo agora.”
“Minha esposa já está no céu. Estou ansioso para vê-la definitivamente no futuro próximo, porque eu estou com 92 anos e eu sei que meu tempo é limitado nesta terra“, disse Graham. “Mas eu tenho uma enorme esperança no fato de eu estar na vida futura. E eu estarei lá por causa do que Jesus Cristo fez por mim na cruz e pela ressurreição. E isso me dá muita esperança.”
Se Graham tevesse a oportunidade de viver sua vida novamente, ele disse que há coisas que ele faria diferente.
“Gostaria de estudar mais. Eu ia orar mais, viajar menos, ter menos palestras. Gastei muito tempo viajando ao redor do mundo.”, disse ele. “Se eu tivesse que fazer outra vez, eu gastaria mais tempo na meditação e na oração e apenas diria mais ao Senhor o quanto eu o amo e adorá-Lo e olhando para a frente o tempo que vamos passar juntos na eternidade “.
Van Susteren perguntou em qual idade Graham percebeu que queria ser um pregador, e ele disse que era em torno de 18 ou 19 anos quando ele era um estudante em uma escola bíblica perto de Tampa.
“Eu costumava andar pelas ruas nessa área que estava completamente desintegrado por causa da depressão naquela época. E eu oro e peço a Deus uma direção para minha vida e para o verdadeiro objetivo da minha vida. Porque estou aqui? Graham contou.
Em uma noite em um campo de golfe, enquanto ele estava deitado na grama, entre as palmeiras, ele ouviu o chamado de Deus.
“O Senhor parecia chamar-me e dizer que eu iria pregar o Evangelho. E a partir desse momento, comecei a me preparar”, disse Graham. “Pela preparação, quero dizer que comecei a ler livros que contribuíram para que viriam, nos anos vindouros. E então eu comecei a perceber que meu trabalho foi tentar conquistar as pessoas para Cristo, o que fiz, privada e publicamente, que se tornou finalmente meus sermões que chamamos de evangelismo. ”
Ao longo dos anos, ele falou para milhões de pessoas, e ficou surpreso com os números que se reuniram para ouvir sua mensagem, disse Graham. Ele observou um compromisso particular, em Seul, na Coréia, onde foi o maior público que já teve.
“Eles só estavam espalhados na medida em que você pode ver, em uma grande praça ao longo do rio”, disse ele.
Graham passou a aconselhar jovens pregadores.
“Gaste mais tempo em estudo e oração. Esse é o segredo da evangelização bem sucedido”, disse ele. “Se você negligenciar isso, você negligenciou o coração da chamada de Deus para você.”
Com o Natal se aproximando, Graham disse que o feriado significa “muito” para ele e sua esposa “sempre fizeram grandes coisas de Natal para as crianças.”
“Olhamos para a frente. Gostaríamos de levantar na manhã de Natal e que nossas orações, e depois nos sentávamos debaixo da árvore e abrir nossos presentes, geralmente na manhã de Natal, às vezes, na véspera de Natal”, disse Graham.
“Mas quando eu olhei para o berço ou o presépio e vi aquele pequeno bebê que iria se tornar o maior professor que já viveu, para morrer na cruz por meus pecados, saber que vou ser perdoado por causa do que Ele estava fazendo, absolutamente transformada de Natal para mim “, disse ele.
“E todas as compras e os presentes e todas as coisas que comemorou no Natal é um momento espiritual. É um momento que fortalece a minha fé e me dá coragem para o futuro. E eu não espero viver muito mais tempo , mas me lembro que, em cada Natal fortaleceu minha fé. ”
Também na entrevista, Van Susteren perguntou sobre o relacionamento de Graham com a família Bush, e Graham lembrou que conheceu o avô de Bush, Prescott Bush, na Flórida e em seguida, foi convidado pela avó de Bush para responder a questões bíblicas e orar com um grupo de vizinhos sua casa.
“Ela era uma das mais belas mulheres que eu acho que eu já conheci, uma cristã muito profunda. E ela se tornou uma amiga maravilhosa para mim. E através dela, comecei a conhecer o resto da família”, disse Graham de Dorothy Walker Bush.
O ex-presidente George H.W. Bush e sua esposa Barbara “se tornaram amigos íntimo de Ruth e meu”, disse Graham, e foi durante uma visita a sua retirada em Kennebunkport, Maine, em 1985, que se encontrou com seu filho George. Graham foi convidado a realizar um estudo da Bíblia para a família, e Bush se levantou para fazer perguntas. Mais tarde o evangelista e futuro presidente foram passear e jogaram tênis juntos.
“Eu me lembro que ele estava muito interessado nas coisas espirituais e perguntou uma série de questões muito profundas sobre a Bíblia e sobre a fé cristã. E eu tentei responder o melhor que pude”, disse Graham Van Susteren.
Depois do almoço com Graham, Bush sentou-se com Van Susteren para a reflexão sobre o que ele escreveu sobre a influência de Graham sobre a sua vida em seu livro “Pontos de Decisão”.
“Ele é uma alma gentil. Quero dizer, aqui está uma das pessoas mais famosas do mundo, e em sua presença, você percebe o quanto ele é humilde”, disse Bush. “E a sua humildade, e, obviamente, o seu amor por Deus e Cristo pode sobrecarregar o cínico. E eu era uma pessoa cínica da época, e seu espírito tomou conta de mim.”
Graham, em Kennebunkport, foi capaz de conduzir Bush de um homem cheio de perguntas a um homem de paz com Deus.
“Eu quero dizer, de uma maneira, de uma espécie de analogia bíblica, ele – começou a me ajudar a plantar as sementes E o chão estava. – O terreno estava muito difícil”, disse Bush. “Mas depois de conhecer Billy, o chão ficou mais fértil para a semente, é uma maneira de colocá-lo. Ele ajudou a mudar a minha vida. Ele realmente fez. E eu era uma pessoa questionadora. Eu estava bebendo muito. E a religião foi – você sabe, eu costumava – eu coloquei no livro ‘Eu ouvia, mas nunca ouvi. E Billy Graham me ajudou a entender o poder redentor de um Senhor ressuscitado.”
Mais de 1.000 pessoas fizeram fila fora da Biblioteca de Billy Graham segunda-feira para atender os Bush, e Graham se juntou a eles brevemente para receber os primeiros exemplares de seus livros, assinado naquele dia. Franklin Graham deu ao ex-presidente e primeira-dama uma visita privada da biblioteca e depois disse que a mente de seu pai é tão forte como tem sido nos últimos anos.
“Sua mente é mais afiada hoje do que era cinco anos atrás”, disse Franklin Graham. “Eu não sei o que é. Ele está ficando melhor. Ele está ficando mais forte.”
Traduzido e adaptado por: Portal Padom

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

O MINISTÉRIO DO ESPIRITO SANTO EM NOSSAS VIDAS

 
Qual é o papel do Espírito Santo em nossas vidas hoje?Resposta: De todos os presentes que Deus tem dado à humanidade, não há um maior do que a presença do Espírito Santo. O Espírito tem muitas funções, papéis e atividades. Primeiro, Ele trabalha nos corações de todas as pessoas em todos lugares. Jesus disse aos seus discípulos que Ele iria enviaria o Espírito ao mundo para convencer “o mundo do pecado, da justiça e do juízo” (João 16:7-11). Todo mundo tem uma consciência de que Deus existe, quer eles admitam ou não, pois o Espírito aplica as verdades de Deus às mentes dos homens para convencê-los com argumentos suficientes e justos que são pecadores. Responder a essa convicção leva os homens à salvação.

Quando somos salvos e pertencemos a Deus, o Espírito passa a residir em nossos corações para sempre, selando-nos com a promessa que confirma, certifica e assegura nosso estado eterno como Seus filhos. Jesus disse que Ele enviaria o Espírito para ser nosso Consolador, Conselheiro e Guia. “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco” (João 14:16). A palavra Grega traduzida como “consolador” significa um que é chamado para o lado de alguém, e dá a idéia de alguém que encoraja e exorta. A palavra para “esteja” tem a ver com sua residência permanente nos corações dos crentes (Romanos 8:9; 1 Coríntios 6:19, 20; 12:13). Jesus enviou o Espírito como uma “compensação” por Sua ausência, para executar as funções que Ele mesmo teria executado se tivesse permanecido pessoalmente conosco.

Uma dessas funções é aquela de revelador da verdade. A presença do Espírito dentro de nós nos capacita a entender e interpretar a Sua Palavra. Jesus disse aos seus discípulos: “quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade” (João 16:13). Ele revela a nossas mentes o conselho completo de Deus em relação a louvor, doutrina e vida Cristã. Ele é o verdadeiro guia, indo na nossa frente, mostrando o caminho, removendo os obstáculos, abrindo as portas para entendimento e fazendo todas as coisas claras e simples. Ele nos mostra o caminho que devemos seguir em todas as coisas espirituais. Sem um guia assim, seríamos propensos a cair em erro. Uma parte crucial da verdade que Ele revela é que Jesus é quem Ele disse ser (João 15:26; 1 Coríntios 12:3). O Espírito nos convence da divindade de Cristo, e que Ele é o Filho de Deus, da Sua encarnação, que Ele é o Messias, de Seus sofrimentos e morte, Sua ressurreição e ascensão, Sua exaltação à mão direita de Deus, e de sua função como o Juiz de tudo. Ele dá glória a Cristo em tudo (João 16:14).

Uma outra parte de sua função é aquela de distribuidor de dons. 1 Coríntios 12 descreve os dons espirituais dados aos crentes para que possamos funcionar como o corpo de Cristo na terra. Todos esses dons, grandes e pequenos, são dados pelo Espírito para que possamos ser Seus embaixadores ao mundo, mostrando Sua graça e glorificando a Ele.

O Espírito também funciona como o produtor de fruto em nossas vidas. Quando Ele habita em nós, Ele começa o processo de colher fruto em nossas vidas - amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio (Gálatas 5:22-23). Esses não são frutos da carne, que é incapaz de produzir tal fruto, mas são os produtos da presença do Espírito em nossas vidas.

O conhecimento de que o Espírito Santo de Deus passou a residir em nossas vidas, que Ele executa todas essas funções tão milagrosas, que Ele habita conosco para sempre e nunca vai nos abandonar ou deixar - tudo isso é motivo de grande alegria e conforto. Graças a Deus por esse Presente tão precioso - o Espírito Santo e Seu trabalho em nossas vidas!

domingo, 2 de janeiro de 2011


Púlpito :Lugar de ouvirmos a Palavra de Deus


O púlpito é um lugar aonde a Palavra de Deus é pregada,não podemos fazer do púlpito um palco nem muito menos um picadeiro. A Palavra de Deus deve ser o objetivo primário e final em nossos púlpitos: "E Esdras, o escriba, estava sobre um púlpito de madeira, que fizeram para aquele fim... E Esdras abriu o livro perante os olhos de todo o povo..." Ne 8.4,5. Deve haver por parte daqueles que usam os púlpitos das igrejas,a consciência e responsabilidade de tarefa tão nobre”pregar a Palavra Santa do Deus Santo”.


Compreendamos então o grande privilégio que temos de sermos pregadores das boas novas do Senhor, pregando a Palavra e somente a Palavra com amor e compromisso. Pois, essa nobre tarefa não é privilégio de todos. Todos devem anunciar as boas novas Mc 16.15, mas o ministério é dado apenas a alguns conforme determina o Santo Espírito de Deus Ef 6.11.


Assim, que, você reconheça esse dom de Deus "... cumpre o teu ministério" 2 Tm 4.5,deixando toda novidade,estrelismo,invencionisse mundana fora de nossos púlpitos.


A edificação da comunidade se dá através da pregação clara e objetiva da Palavra de Deus, pois através dela saberemos qual é realmente a vontade de Deus, sabendo então sua vontade, poderemos cumprí-la, e esse é o grande objetivo dos servos cumprirem a vontade do seu Senhor, coisa difícil de se concretizar quando transformamos nossos púlpitos em local de promoção de entretenimento e propaganda narcisista.


Que o Espírito Santo nos oriente como e o que falar em nossos púlpitos.






Pb. Francisco de Aquino, membro da Igreja “O Brasil para Cristo” Kemel – Poá e professor do Instituto Bíblico O Brasil para Cristo (I.B.B.C.) em Suzano e Poá.

sábado, 1 de janeiro de 2011

Pregue a palavra!

.
Cada período de reforma e cada momento de despertamento espiritual foi precedido por uma restauração da pregação bíblica. Esta causa e efeito é atemporal e inseparável. J. H. Merle D'Aubigné, notável historiador da Reforma, escreve: "A única verdadeira reforma é aquela que emana da Palavra de Deus". Ou seja, da forma que o púlpito vai, assim vai a igreja.
Tal foi o caso na Reforma Protestante do século XVI. Martinho Lutero, João Calvino, e outros reformadores foram levantados por Deus para liderar essa época. No pelotão da frente, foi a restauração da pregação expositiva que ajudou a lançar este movimento religioso que virou a Europa e, finalmente, a civilização ocidental de cabeça para baixo. Com sola Scriptura como o seu grito de batalha, uma nova geração de pregadores bíblicos restaurou o púlpito à sua antiga glória e reavivou o cristianismo apostólico.
Todo pregador deve limitar-se às verdades das Escrituras. Quando a Bíblia fala, Deus fala. O homem de Deus não tem nada a dizer além da Bíblia. Ele deve manifestar não suas opiniões pessoais no púlpito. Nem pode ele expor filosofias mundanas. O pregador está limitado a uma tarefa - pregar a Palavra.
Autor: Steven Lawson
Fonte: [
Preach the Word ]
Via: [ Reforma & Razão ]

.
.